Lins reabilita ideário de Lúcio Costa

22 de maio de 2013

“Estratégia e sustentabilidade têm muita coisa em comum, são conceitos irmãos, pois estão associadas à visão de futuro, à qualidade de vida dos nossos filhos e netos”, afirmou o secretário de Assuntos Estratégicos do DF, Newton Lins, durante o XII Encontro Verde das Américas, realizado no Museu da República, em Brasília, com a participação de representantes de diversos países.

Newton Lins, que presidiu uma das Mesas do evento, chamou a atenção para a situação de Brasília. Observou que Lúcio Costa, ao desenhar o projeto da capital, estabeleceu uma linha poligonal de mais de 20 quilômetros de raio, denominado “anel sanitário”, onde nada poderia ser construído, além da própria cidade, o Plano Piloto. Assim, o urbanista pretendia criar uma área de preservação ambiental para garantir a qualidade de vida da população. “Lúcio Costa já trabalhava com a visão de futuro”, lembrou Newton Lins. Mas como a proposta do urbanista foi desrespeitada, o Distrito Federal paga hoje um alto preço pela desordem de sua ocupação territorial, que compromete a eficiência dos serviços públicos, o abastecimento de água e outros aspectos. ,

Diante do atual cenário, o secretário destacou o papel de sua pasta, cuja finalidade principal é pensar a cidade no longo prazo. Nesse sentido, criou o foro permanente “Brasília + 50”, para garantir o desenvolvimento sustentável da capital e a qualidade de vida das futuras gerações, reabilitando a proposta inicial de Lúcio Costa.